E se…

artigo* Mhanoel Mendes

E se… o nosso cotidiano fosse pelo menos parecido com o Caminho de Santiago?
E se… não houvesse nem empates e nem derrotas?
E se… todos os animais realmente tenham alma, não só o ser humano?
E se… todo alimento produzido chegasse à mesa das famílias, será que haveria fome?
E se…não houvesse fim de ano?
E se…ao invés de ano, tivéssemos ciclos?
E se…estes ciclos fossem fechados a cada 13 luas, não 12 meses?
E se…o natal fosse festejado todo dia?
E se…algumas pessoas não fizessem as sobrancelhas e nem as cutículas?
E se… o transporte coletivo fosse realmente eficaz e bem mais barato?
E se…o padrão “fofinha” voltar a ser a beleza oficial?
E se…só a existência acaba?
E se…a vida não acabar?
E se…falássemos menos?
E se…realmente nós, seres humanos, tivermos uma mente original escondida atrás desta alienada em que vivemos?
E se… não existisse dinheiro?
E se…a “moeda” fosse o mérito?
E se…o universo só ajudasse quem ama a vida?
E se…os profissionais da saúde ganhassem pelo número de “não doentes” onde o foco fosse a prevenção?
E se…as coisas fossem mais simples?
E se…a religião fosse o amor?
E se…não tivéssemos memórias passadas e nem futuras, só presente?
E se…os estudantes não fizessem prova pra passar?
E se…para passar de disciplina, ao invés de provas, os estudantes fossem éticos com eles mesmos e cada um diria quando estivesse preparado para passar?
E se… o velocímetro dos carros fossem até a velocidade permitida?
E se…a educação fosse para melhorar o mundo, não para passar no vestibular?
Depois de tantos “E se…”, cabe ainda um derradeiro:
E se, ao invés de ser somente sonhos meus, estes pontos fossem também seus?

* Jornalista, agricultor, psicólogo, jardineiro, escritor e peregrino.

Compartilhar
Esta entrada foi publicada em Artigos e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *