Café, leite e açúcar

DSC_0049* Mhanoel Mendes

Há um bom tempo, pelo menos uns dois ou três anos, já estou convencido que alguns alimentos não fazem muito bem a minha saúde. Falo do café, do leito e do açúcar.

Confesso que, mesmo consciente, diminuí um pouco o uso deles, mas nunca parei. E lá vão as desculpas. Uma hora é isso, outra aquilo e assim ia levando a situação e transferindo  a decisão.

Em relação aos três produtos expostos acima, não há uma causa específica, pois sinto-me bem de saúde, disposto mesmo. Mas questões mais gerais me fazem concluir que os três, se forem diminuídos consideravelmente, iriam me deixar mais limpo, desintoxicado.

Recentemente, minha companheira De Wotmeyer e eu fomos a um retiro no CEBB, em Viamão, onde passamos cinco dias vivenciando um ritmo natural e saudável em companhia do Lama Padma Samten. Lá, passamos todo este tempo sem muitos alimentos consumidos cotidianamente, dentre eles, é claro, sem café, leite e açúcar. A carne nem precisa falar, não é mesmo?

De volta para o Oikos – espaço de terapias integrais, Yoga, Psicologia e eventos –  onde moramos, nos propusemos a tentar, enfim, começar a diminuir o café, o leite e o açúcar; e, se possível, eliminá-los, pelo menos nas bebidas quentes. Tudo de forma leve, amorosa e sem radicalismos.

Assim fizemos. Qual não foi nossa surpresa quando nossos filhos e filhas também aderiram a decisão. Agora, aqui em casa, só tomamos chá e de lá pra cá, não fizemos mais café pra nós; só para alguns convidados e amigos que fazem questão da bebida.

Mas meu artigo de hoje não objetiva só expor isso, que trocamos o café pelo chá. Objetiva também dizer que depois disso, paramos de usar tanto açúcar e praticamente não consumimos mais leite. Isso não é fantástico? Três importantes transformações em uma só decisão.

Não tem como lembrar do amigo Francisco Kuster, ex-vereador de Lages e ex-Deputado Estadual e Federal por Santa Catarina. Morador da região serrana, ele foi ao médico com queixa de tosse e dores nos pulmões. Diagnóstico: pneumonia.

– “Senhor Kuster, ou o senhor para de fumar ou a doença pode evoluir para um quadro mais delicado ainda”, disse o médico.

– “Mas doutor, eu não fumo!”, respondeu o doente.

Resultado: Francisco Kuster teve que parar de jogar baralho.

Fica a dica! Pra mim deu certo. De repente você deseja diminuir o açúcar, o leite e até o café. Comece a usar chá e, assim como eu, pode ser que pare com os três.

* Jornalista, agricultor, psicólogo, jardineiro, professor e peregrino – www.oikos.org.br

 

 

Esta entrada foi publicada em Artigos e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *