Experimente a Roda da Vida

2014* Mhanoel Mendes

Diz o calendário gregoriano que dia 31 de dezembro finaliza mais um ano, o ano de número 2013 desde a sua implantação. Este mesmo calendário aponta o dia primeiro de janeiro como o início do ano seguinte.

Para muita gente, e eu me incluo nesse rol de pessoas, estas são apenas datas socialmente convencionadas. Já para outras pessoas, no fim de ano há uma magia contagiante, uma energia diferente a ponto de participarem desta catarse coletiva. Tudo certo!

Independentemente do tipo de pessoa que somos, é sempre prudente termos um momento em nossas existências onde possamos avaliar o passado, ponderar o presente e projetar o futuro. Talvez aqui, no final de cada ano (final?), possamos usar um pouco do nosso tempo para refletir sobre nossa existência.

Na psicologia, aprendemos uma técnica muito simples e eficaz que agora passo a você, que é a da “roda da vida”. De acordo com ela, fazemos um ponto numa folha em branco e depois marcamos mais 10 círculos a partir deste ponto de modo que o primeiro ficará bem menor em relação ao décimo (veja desenho explicativo). Depois disso, fazemos uma cruz neste círculo, dividindo-o em quatro e depois em oito. Assim, teremos 10 fatias e oito espaços; uma grande pizza com 8 pedaços iguais.

No lado de fora desta pizza, na borda, você vai escrever oito pontos principais para se ter uma vida em harmonia, um círculo de equilíbrio, que são: amor, saúde, social, finanças, práticas espirituais, lazer, profissão/trabalho e família. Sugere-se estes pontos, mas se você quiser retirar ou acrescentar outros, fique a vontade, só não esqueça de fazer isso aumentando a fatia da pizza da roda da vida.

Como cada pedaço de pizza tem 10 níveis, você vai se dar uma nota de zero a 10 em relação a cada ponto. O item “amor”, por exemplo, você vai avaliar se está feliz ao lado do(a) seu(ua) companheiro(a), se gosta de programar momentos só pra vocês dois. Preencha zero se nada disso acontece, os 10 espaços se se sente bem na relação. E assim por diante.

Agora, pegue o item “saúde”: como ela está pra você, se se alimenta de forma correta, se faz práticas corporais. Na sequência vem o “social”, que nada mais é do que ter um círculo de amizades. A pergunta aqui é: você vai a shows, bailes, festas, enfim, encontros que é convidado? Depois disso vem as “finanças”, que também é importante na roda da vida. Aqui você consegue equilibrar sua economia? Está em dia com seus pagamentos? Planeja gastos e consegue poupar?

Logo em seguida vem o item “práticas espirituais”, que não quer dizer religião. Neste item a questão é “você está feliz com suas crenças? Encontra conforto espiritual nos momentos de crise?” Seguindo a roda da vida chegamos ao “lazer”. Neste ponto a reflexão é para saber se você se diverte nas folgas, se tem hobbies.

Dando prosseguimento, chegamos à “profissão”. Vale a pena meditar sobre se está satisfeito ou não na área em que trabalha. Se tem plano de crescimento, de carreira. Fechando a roda, por último, mas nem por isso menos importante, vem a “família”. A pergunta aqui pode ter esse viés: como andam as relações com seu cônjuge, pais, filhos, irmãos, familiares em geral?

Feitas estas anotações, coloque o desenho que se formou a uma distância e observe qual quadrante está menos preenchido e qual está mais cheio. Aqui você terá condições de fazer um balanço da sua vida, um diagnóstico do que está bom e do que pode ser melhorado. Reflita sinceramente sobre cada um e o que você pode fazer para avançar na direção de quem realmente você quer ser ou se tornar.

Experimente. Tente. Faça diferente. Como diz Carlos Drumond de Andrade, é dentro de você que cochila o ano novo.

* Psicólogo e escritor www.oikos.org.br

Esta entrada foi publicada em Artigos e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *