A Procura da Felicidade

* Beto Colombo

Queridos leitores que vocês estejam bem. Sua Santidade o Dalai Lama comenta que o que os mais de 7 bilhões de pessoas do nosso planeta têm em comum é que todos querem ser felizes.

Algumas pessoas procuram a felicidade no dinheiro. Outros num copo de bebida alcoólica e outros tipos de drogas. Já alguns em status, trabalho, outros em moda, outros ainda no conhecimento. Enfim, poderíamos aqui desfilar uma série de contextos onde algumas pessoas buscam a felicidade. E há ainda aqueles que não estão à procura de sua felicidade e sim a felicidade dos outros, como os filhos, por exemplo.

Será que a infelicidade não é um engano? Será que já não somos todos felizes?

Pesquisas francesas apontam que o sentimento, o estado de felicidade é proporcional ao acesso das pessoas aos bens e serviços que oportunizam uma vida justa. Mas se estes bens e serviços ficarem aquém, a felicidade será baixa, se os bens ficarem muito além, os resultados serão os mesmos daqueles que têm pouco acesso, ou seja, a infelicidade. Interessante não?

Talvez tudo isso comprove que “ter” em demasia não nos faz ir ao âmago da nossa essência, provavelmente ela nos desvirtua dos nossos projetos desta existência. Afinal de contas, nós podemos viver com pouco, muito pouco, mas precisamos de algo justo. Não dá para viver sem nada. Parece que quanto mais pesada a mochila, mais difícil de caminhar, às vezes, impossível devido ao peso.

Talvez o que confundimos um pouco é este estado de plenitude com a alegria. O estado de felicidade, para mim, é um sentimento que não se abate e que, é claro, se evidencia na alegria. Isto não quer dizer que se algo ruim me acontecer, seja o que for, eu vou ficar infeliz.  Algumas pessoas ficam demasiadamente tristes somente em pensar na morte. Para mim, hoje, a morte é uma certeza e aprendi a conviver com ela. Mesmo sabendo que um dia vou passar para outra existência, ela, a morte, não tem me entristecido, muito pelo contrário, sinto-me realizado, inteiro, terno, sinto-me feliz.

Lembrando que isso é assim para mim hoje.

* Empresário, Especialista em Filosofia Clínica, Diretor Presidente da Anjowww.betocolombo.com.br

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *