Princípios Indianos

* Por Beto Colombo

Querido leitor, aceite o meu fraternal e caloroso abraço. Recentemente tivemos a novela “Caminho das Índias”, na TV Globo, que popularizou a cultura e o estilo de vida dos indianos. A Índia é o sétimo maior país em área geográfica, o segundo país mais populoso e a democracia mais populosa do mundo.

Mas, de todas as informações sobre a Índia, uma das que mais me chamou a atenção foram os “Quatro Princípios Espirituais Indianos”. Vale lembrar que naquele país oficialmente tem 72 religiões hoje.

Também vale ressaltar que assim como o apóstolo Paulo ensinava “Tudo lhe é possível e nem tudo lhe convém” quero, mais uma vez, reafirmar que nossos artigos têm um olhar atento sobre o cotidiano e objetiva uma reflexão aberta sobre a vida. Nesta linha, estamos abertos a tudo, sem nos apegar a nada e nem rejeitar nada.

Voltemos então aos Quatro Princípios Espirituais Indianos. O primeiro é simples: “Quem está aqui é realmente quem deveria estar”. Não nos remete a pensar que fulano, sicrano ou beltrano poderiam estar aqui, que as coisas seriam melhores se outra pessoa específica estivesse aqui: Quem está aqui é realmente quem deveria estar.

O segundo princípio espiritual indiano sai da pessoa e entra, de certa forma, na ação, no fato. Diz ele: “O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido”. Nós ocidentais somos experts nisso, em usar o “se”: “Se” tivesse feito isso, “se” tivesse feito aquilo. Não fez! Portanto, o que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido.

Iniciando com o primeiro princípio que diz que “Quem está aqui é realmente quem deveria estar”, como o segundo princípio que enuncia que “O que aconteceu é a única coisa que poderia ter acontecido”, chegamos, então, ao terceiro princípio. Segundo este “Cada momento em que algo começa é o momento certo”. Por exemplo, eu estar aqui falando, você ouvindo e você se despertar para determinada ação, esse é o momento certo. Foi exatamente aqui que você estava preparado para agir, nem antes, nem depois; agora, já!

E, como falamos, há quatro princípios. Chegamos ao último dele, o que encerra a lista dos princípios espirituais indianos. Que diz: “Quando uma coisa termina, ela terminou”. Parece simples, mas quantos de nós ainda estamos fixos em ocorrências infantis, de juventude e até de um passado breve? Mas já é passado. Muito simples. Para algumas pessoas é assim mesmo, simples, simplesmente simples.

É assim como o mundo parece para a cultura indiana. E você, tem princípios espirituais?

* Empresário, Filósofo Clínico, Diretor Presidente da Anjo

Esta entrada foi publicada em Artigos. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *